"Bernadette perguntou três vezes o nome da Senhora, que sorrindo e unindo suas mãos sobre o peito respondeu: Eu sou a Imaculada Conceição."
Terça, 22 Dezembro 2015 09:43

Que família? (Festa da Sagrada Família)

Escrito por  José Antonio Pagola
Avalie este item
(0 votos)

Sua mãe guardava tudo em seu coração.

Hoje é o Dia da Família Cristã. Uma festa estabelecida recentemente para que nós, cristãos, celebremos e investiguemos como que pode ser um projeto familiar entendido e vivido a partir do espírito de Jesus.

Não basta defender de maneira abstrata o valor da família. Tampouco é suficiente imaginar a vida familiar segundo o modelo da família de Nazaré, idealizada desde nossa concepção de uma família tradicional. Seguir Jesus pode exigir as vezes questionar e transformar esquemas e costumes muito enraizados em nós.

A família não é para Jesus algo absoluto e intocável. Mais ainda. O decisivo não é a família de sangue, e sim essa grande família que devemos ir construindo a partir dos humanos, escutando o desejo do único Pai de todos. Inclusive seus pais terão que aprender, não sem problemas e conflitos.

Segundo o relato de Lucas, os pais de Jesus o buscam enlutados, ao descobrir que Ele os abandonara sem preocupar-se com eles. Como pode fazer assim? Sua mãe o repreende quando o encontra: “Filho, por que nos trata assim? Veja como teu pai e eu o procurávamos angustiados.”

Jesus os surpreende com uma resposta inesperada: “Por que me procuravas? Não sabiam que eu devia estar na casa de meu Pai?”.

Seus pais “não o compreenderam”. Só investigando em suas palavras e em seu comportamento de pronto, sua família descobriu progressivamente que, para Jesus, o primeiro é a família humana: uma sociedade mais fraterna, justa e solidária, tal como quer Deus.

Não podemos celebrar responsavelmente a festa de hoje sem escutar direito nossa fé. Como são nossas famílias? Vivem comprometidas com uma sociedade melhor e mais humana, ou fechadas exclusivamente em seus próprios interesses? Educam para a solidariedade, a busca da paz, a sensibilidade aos necessitados, a compaixão, ou ensinam a viver para seu próprio bem estar insaciável,  ao máximo de lucro e esquece dos demais?

Que está acontecendo em nossos lares? Cuida-se da fé, recorda-se de Jesus Cristo, aprende-se a rezar, ou só transmite indiferença, incredulidade e vazio de Deus? Educa-se para viver a partir de uma consciência moral responsável, sadia, coerente com a fé cristã, ou se favorece um estilo de vida superficial, sem metas nem ideais, sem critérios e sem sentido?

José Antonio Pagola

Teólogo e biblista espanhol

(Tradução livre: Dervile Alonço)

 

Ler 2843 vezes Última modificação em Terça, 22 Dezembro 2015 14:00

Links

Quer sugerir temas para buscarmos respostas? O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Redes Sociais

    A Igreja também está presente nas Redes Sociais, acompanhe!