"Bernadette perguntou três vezes o nome da Senhora, que sorrindo e unindo suas mãos sobre o peito respondeu: Eu sou a Imaculada Conceição."
Quinta, 06 Março 2014 10:07

As tentações continuam... (1° Dom Quaresma)

Escrito por  Pe Antonio Geraldo Dalla Costa
Avalie este item
(0 votos)

A Quaresma é um tempo sagrado para aprofundar o Plano de Deus e rever a nossa vida cristã. E nós somos convidados pelo Espírito ao DESERTO da Quaresma para nos fortalecer nas TENTAÇÕES, que freqüentemente tentam nos afastar dos planos de Deus.

As Leituras bíblicas nos ajudam nesse sentido...

A 1a Leitura apresenta a tentação de Adão e Eva: (Gen 2,7-9.3,1-7) Deus criou o homem para a felicidade e para a vida plena. No entanto o homem preferiu construir o "paraíso" a seu modo. Rompendo com o projeto de Deus, "sentiu-se nu", despojado dos dons de Deus, incapaz de ser feliz. A finalidade do autor sagrado não é uma descrição histórica ou científica, mas uma Catequese sobre a Origem do Mundo e da Vida.

- O Homem vem "da terra", no entanto recebe também o "sopro de Deus".

- Deus criou o homem para ser feliz, em comunhão com Deus e indica-lhe o caminho da imortalidade e da vida plena.

- A escolha errada do homem, desde o início da história, destrói a harmonia no mundo e é a Origem do Mal.

- "Jardim, plantas, água abundante": é o ideal de felicidade desejado por um povo que vive os rigores do deserto árido.

- "Árvore da vida": símbolo da imortalidade concedida ao homem.

- "Árvore do conhecimento do bem e do mal": representa a auto-suficiência de quem busca a própria felicidade longe de Deus.

- "Nus": Despojados da dignidade inicial (viver nu é a condição dos animais).

- "A Serpente": representa a Religião Cananéia, que cultuava a serpente. Por ela, os israelitas eram tentados a abandonar o caminho exigente da Lei. É símbolo de tudo o que afasta os homens de Deus e de suas propostas.

A 2ª Leitura nos propõe dois exemplos: Adão e Jesus. (Rm 5,12-19) Adão representa o homem que escolhe ignorar as propostas de Deus e decidir, por si só, os caminhos da salvação e da vida plena; Jesus é o homem que escolhe viver na obediência às propostas de Deus. O esquema de Adão gera egoísmo, sofrimento e morte; o esquema de Jesus gera vida plena e definitiva.

O Evangelho fala das tentações de Jesus. (Mt 4,1-11) Na sua quaresma no DESERTO, Jesus é tentado três vezes a abandonar o plano de Deus e procurar outros caminhos, mas Ele se recusa. Esse relato não é uma reportagem histórica, mas uma Catequese, cujo objetivo é mostrar que também Jesus foi tentado, mas foi fiel à vontade do Pai. Os 40 dias simbolizam os 40 anos passados por Israel no deserto. Jesus revive a experiência da fome e da confiança do povo na Providência divina. Mateus sintetiza em três tentações simbólicas todas aquelas provas, que Jesus enfrentou e venceu durante toda a sua vida: 

1) Tentação da Abundância (Riqueza): Jesus é tentado a transformar as pedras em pães, como no tempo do Maná. Jesus vence a prova, demonstrando a necessidade essencial de alimentar-se da Palavra de Deus: "Nem só de pão vive o homem..."

2) Tentação do Prestígio: Jesus poderia ter escolhido um caminho de êxito fácil, mostrando o seu poder através de gestos espetaculares e sendo admirado e aclamado pelas multidões. Jesus rejeita todo o desejo de prestígio e afirma: "Não tentarás o Senhor teu Deus". Não força Deus para solucionar magicamente problemas humanos.

3) Tentação do Poder: Jesus poderia ter escolhido um caminho de poder, de domínio. No entanto, Jesus rejeita essa tentação, afirmando: "Só a Deus adorarás".

As três tentações aqui apresentadas são três faces de uma única tentação: ignorar as propostas de Deus e escolher um caminho pessoal. Jesus recusou a tentação do pão, da glória e do poder... Para Ele, só uma coisa é verdadeiramente decisiva e fundamental: a comunhão com o Pai e o cumprimento obediente do seu projeto…

Na Palavra de Deus, encontra a força e a resposta para vencê-las...

+ As Tentações continuam ainda hoje... Ainda hoje somos tentados a esquecer as propostas de Deus

e seguir outros deuses. A Quaresma é um tempo favorável para rever quais são os ídolos, que adoramos no lugar de Deus e que condicionam as nossas decisões e opções. As tentações de ontem e de hoje, são fundamentalmente as mesmas:

- Tentação da Riqueza: de "ter mais": dinheiro, bens, conforto, comodidade... Até recusamos compromissos voluntários, pois podem prejudicar o conforto... achando que para ser feliz, basta ter muitos bens...

- Tentação do Prestígio, da fama: Adoramos ser elogiados, aparecer... Até exigimos de Deus sinais do seu amor: E se o milagre não acontece, a nossa fé vacila!...

- Tentação do Poder: procuramos o Poder a todo custo e o exercemos com prepotência... em todos os ambientes...

+ As tentações continuam ainda...  Qual é a nossa atitude diante delas?

Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa -09.03.2014

Ler 3656 vezes Última modificação em Quinta, 06 Março 2014 16:11

Links

Quer sugerir temas para buscarmos respostas? O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Redes Sociais

    A Igreja também está presente nas Redes Sociais, acompanhe!