"Bernadette perguntou três vezes o nome da Senhora, que sorrindo e unindo suas mãos sobre o peito respondeu: Eu sou a Imaculada Conceição."
Terça, 21 Fevereiro 2012 16:58

Santa Rita

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Filha única, foi mãe, viúva, religiosa e estigmatizada. Nasceu em maio do ano 1381. Desde o inicio quis ser religiosa, mas seus pais, escolheram para ela um esposo, o que não foi uma decisão sábia.

Mas Rita obedeceu. Depois do matrimônio, seu esposo demonstrou ser bebedor, mulherengo e abusador. Injuriada sem motivo, não tinha uma palavra de ressentimento; espancada, não se queixava e era tão obediente que nem à igreja ia sem a permissão de seu brutal marido. Santa Rita nunca cessou de rezar pela conversão de seu marido, o que aconteceu, porém por pouco tempo; ele fora assassinado. Sua pena foi aumentada quando seus dois filhos juraram vingar a morte de seu pai. As súplicas não conseguiram dissuadi-los. Foi então que Santa Rita compreendeu que mais vale salvar a alma que viver muito tempo: rogou ao Senhor que salvasse as almas de seus dois filhos e que tirasse suas vidas antes que se perdessem para a eternidade por cometer um pecado mortal. O Senhor respondeu a suas orações: os dois padeceram de uma enfermidade fatal. Ao estar sozinha, não se deixou vencer pela tristeza e pelo sofrimento. Santa Rita entrou no convento das irmãs agostinianas, depois de grandes dificuldades para tanto. Muitos são os sinais sobrenaturais atribuídos a Rita de Cássia, descritos na Hagiografia, além dos já indicados. Teria, na noite de sexta-feira da Paixão, recebido um dos espinhos da coroa de Cristo.

  • Viveu de 1381 a 1457
  • Festa Litúrgica 22 de Maio
Ler 3916 vezes Última modificação em Quinta, 17 Maio 2012 20:26
NSLourdes

Pastoral da Comunicação
Paróquia Nossa Senhora de Lourdes da Água Rasa

Website.: www.senhoradelourdes.org.br

ADITAL, Agência de Informação Frei Tito para América Latina, é uma agência de notícias que nasceu para levar a agenda social latino-americana e caribenha à mídia internacional; estimular um jornalismo de cunho ético e social; favorecer a integração e a solidariedade entre os povos; desvendar para o mundo a dignidade dos que constroem cidadania; dar visibilidade às ações libertadoras que o Deus da Vida faz brotar nos meios populares; divulgar o protagonismo dos atores sociais que são nossas fontes de informação e são democratizadores da comunicação.